PASSAGENS

 

A imagem, para quem sabe captá-la, faz sonhar, nos diz Bachelard. E, se entre passagens essas imagens forem paisagens, onde termina o real e começa o sonho? Álvaro de Campos, aliás, Fernando Pessoa me dá uma pista em Passagem das horas: “Toda a energia é a mesma e toda a natureza é o mesmo...”

 

Para os observadores da presente exposição de Décio Soncini e que desconhecem seu percurso poderão surgir questões se a obra se trata de “simples” registro das paisagens, uma vez que o gênero ficou estabelecido no vocabulário artístico como representação pictórica de um sítio ao ar livre, no qual a Natureza desempenha papel preponderante, e passado quatrocentos anos de seu aparecimento na língua ressurgem com outra conotação com os movimentos ambientalistas. Estas paisagens, se é que possamos chamá-las assim é a resposta a contínuas passagens do artista a seu entorno, ao mundo vizinho ou aquele vislumbrado em viagens, seu encontro com a Natureza calma ou em conflito naquilo que tem de mais essencial e indomável, a vida vegetal que emprestará um sentido à sua busca existencial.

 

Ao escolher a vegetação abre-se a um processo simbólico pessoal, que interpretamos como aquilo que seu subconsciente deseja exprimir, luz e sombra formas arquetípicas, matizes de cores ou oposições gritantes nas cores primárias, o grito suspenso e a pulsação no limite do desaparecimento individual das cores. Ali se desenrola o drama da vida, as transformações que ocorrem ou que poderão vir a ser, toda a energia e toda a Arte, como experiência repetida e inesgotável. São interpretações que contamos com nossas próprias associações, e por conseqüência subjetivas, relembrando que o analista vê a insistência no tratamento de certos temas, mas as apreensões de sentido ultrapassam os limites da obra, são passagens, e retornado à Álvaro de Campos : “ Fui educado pela imaginação, viajei pela mão dela sempre [...] e todas as horas parecem minhas dessa maneira”.

 

Walter de Queiroz Guerreiro

Crítico de Arte  ABCA/AICA).

 

 

 

    

Indique este site



Décio Soncini



Currículo artístico



Antonio Zago - Revista "Isto É" - abr./1982 



Alberto Beutemüller - Revista Visão/abr. de 1982 



Enock Sacramento - Exposição - 1985 / Apresentação



Olívio Tavares de Araújo - Exposição - 1988 / apresentação



Radah Abramo - Revista "Isto É" - março/1989 



Walter de Queiroz Guerreiro - Exposição - 1993 / Apresentação



Artigo publicado no jornal "A Noticia" em outubro de 2003



Walter Queiroz Guerreiro - Inédito - Maio/2008 



Raul Forbes - Apresentação da exposição "Paisagens" - setembro/2011 



Lúcia Chaves - "Os infinitos cantos do ateliê" - maio/2014 



Enock Sacramento- "4.2: Gonzalez e Soncini" - Março/Junho/2019


 
Menu Textos

| decio@soncini.com.br | tel.: (11) 2215.0303 |

   2002-2020 ©.